Um ano a mais de histórias

A expectativa do novo ano, em dezembro de 2014, trouxe um ar de renovo.

Mudaram as casas, os trabalhos, as pessoas.

Novas histórias correram pelos meus olhos,

que mal tive tempo de registrar por aqui.

 

2015 foi um ano de novas experiências,

Novos desafios e muitas alegrias.

Agora é tempo de refletir sobre esse baú de histórias

que acumulamos ao longo desses 365 dias

e esperar que 2016 seja tão bom como foi o de 2015.

 

Porque sempre vale a pena.

 

 

 

O ACASO

Seja por crença ou descrença, está sempre presente

Uns atribuem ao divino, algo maior que exista além da nossa existência

Outros deixam vagos, como o inesperado que vem sem avisar

Mas todos concordam que não há nada mais emocionante do que quando ele chega em nossas vida.

Junto vem o frio na barriga, a inquietação, a insônia e tudo mais

Deixa o coração palpitando e a alma leve, pois traz a esperança de que a vida vai melhorar.

Acaso, você é sempre bem-vindo!

Apreendendo as emoções

Uma carinha feliz, outra triste
E assim Manuela aprende com os bonecos
Que a vida é feita de vários sentimentos

Agora basta alguém falar a palavra feliz
que ela logo abre aquele sorriso largo no rosto
E não tem nada mais bonitinho do que suas sombrancelhas franzidas
tentando expressar uma trsiteza que naquela hora parece diversão

E assim, vejo com ela
como aprendemos a lidar com as emoções em sociedade
para saber a hora de sorrir e de chorar
mesmo que não seja hora pra isso

Hoje a brincadeira é a ginástica muscular
para conseguir fazer cada expressão
No futuro serão marcas para a vida

E quando a gente cresce esquece
que um dia aprendeu a ser feliz, apenas com um sorriso largo o rosto
e que ficar triste já foi diversão

Espaço na agenda

O tempo anda corrido, é o que escuto por aí.

Mas no fundo algo me diz o contrário

ele estático marca os nossos passos acelerados

sem tempo para nada, mesmo fazendo de tudo

sempre atrasados, mesmo chegando antes

 

e assim vivemos, como o jornal impresso

que ansia por trazer um furo,

algo novo que ninguem nunca ouviu

que ninguem conhece e que seja revolucionario

 

dentro de todas as histórios parece ter um herói

na luta diária para mudar o mundo

 corremos, voamos….

e muitas vezes invisíveis, salvamos no mínimo a esperança

de que amanhã nossa agenda caberá mais uma missão.

 

e para nao fugir do tema, correndo passei por aqui

sem formatar, sem reler ou revisar…. deixou bem embaralhadas as palavras

que voaram em meus pensamos entre uma atvidade e outra da agenda.

 

 

Saudade de escrever…

Hoje deu vontade de escrever

Não sei bem o que, deu uma vontade de gritar

O não entendido, as palavras não ditas

A pressa que levamos para o tempo

O silêncio que aflige pelo não saber

Na hora do almoço palavras saltitam aos meus olhos

Enquanto tento coloca-las em ordem

Confesso detestar não sabe, muito menos o silêncio,

mas tenho aprendido que não há remédio melhor do que se calar

Já aprendi também que entrar no meio do furação

Só tem um final: a morte

Então enquanto não entendo o que está acontecendo

Prefiro esperar… pois pode não passar de uma crise

Seja sentimental, profissional ou hormonal rs

 

Hoje

Hoje, a única coisa que faz sentido

é saber que nada sei do meu futuro

Prestes a fechar a mala dos sonhos e partir

ainda preciso aprender a não olhar para trás

O nada do passado, se transformou em muito

e a escolha se faz necessário

Mas agora é decidir por quem escolheu por mim

do que ficar assistindo de longe o que poderia ser meu

Difícil decisão…